blog-titele.png
fundo_bco.png
Buscar

Escrito por Murray Stassen.Traduzido por Izabel Muratt.

As empresas no Reino Unido com mais de 250 funcionários foram, mais uma vez, legalmente obrigadas a publicar suas estatísticas anuais de disparidades salariais entre homens e mulheres - e no dia 5 de outubro o prazo chegou.

Como de costume, esses números refletem o status de cada empresa em abril (mais especificamente, 5 de abril) no ano anterior (ou seja, abril de 2020).

Aqui, a MBW (Music Business Worldwide) analisa a Universal Music, Sony Music e os últimos números de disparidades salariais entre homens e mulheres da Warner Music no Reino Unido, além dos apresentados pela Apple, Spotify e Live Nation.

Antes de vermos os dados, algumas informações que precisamos saber.

No ano passado, devido à Covid-19, a exigência legal de publicar estatísticas de disparidades salariais entre homens e mulheres no Reino Unido não foi aplicada.

No entanto, duas em cada três das principais empresas de música (Sony Music e Warner Music), publicaram seus relatórios de disparidades salariais entre homens e mulheres no Reino Unido. Eles revelaram uma disparidade salarial média entre homens e mulheres (em 5 de abril de 2019) de 26,0% e 31,5% nas duas empresas, respectivamente.

Nos números publicados em 2019, a diferença salarial média entre os gêneros (em 5 de abril de 2018) nas três principais gravadoras do Reino Unido era de 29,6%: 29,1% na Universal Music, 20,9% na Sony Music e 38,7% na Warner Music.

(A média da 'disparidade salarial entre homens e mulheres' reflete o salário médio que as funcionárias ganham em relação ao salário médio dos funcionários, em cada empresa. É calculada somando todos os salários de cada gênero e, em seguida, dividindo esses números pelo número total de colaboradores homens ou mulheres. A desigualdade salarial média entre homens e mulheres é especialmente afetada, portanto, por qualquer disparidade entre o número de mulheres e homens nos cargos mais bem remunerados.

Sobre os números de hoje.

As principais estatística das majors: a diferença salarial média entre as três empresas em 5 de abril de 2020 era de 28,2%, com 29,2% na Universal Music UK, 25,4% na Sony Music UK e 30% na Warner Music UK.

Em 5 de abril de 2020, a disparidade salarial média entre homens e mulheres no Spotify era de 15,3%, enquanto na Live Nation era de 34,3%.

As figuras abaixo também mostram a divisão entre funcionários do sexo masculino e feminino em cada faixa de renda ("quartil") de cada empresa, bem como a diferença nos bônus pagos a ambos os sexos.


UNIVERSAL (UNIVERSAL MUSIC HOLDINGS LIMITED)


Em 5 de abril de 2020, no quartil de maior renda dos negócios da Universal Music UK, 74% dos funcionários eram homens e 26% eram mulheres.

No "quartil superior médio" da Universal Music UK (ou seja, o segundo nível de remuneração dos executivos), 60% dos funcionários eram homens e 40% eram mulheres.

No quartil "médio inferior" (ou seja, o terceiro nível), havia 50% de funcionários do sexo masculino e 50% do sexo feminino, enquanto no quartil inferior (ou seja, o mais mal pago), essas estatísticas eram de 47% do sexo masculino e 53 % do sexo feminino.

A Universal diz que as mulheres representavam 42% de sua força de trabalho total no Reino Unido em abril de 2020.

A taxa média de remuneração por hora em todos os negócios da Universal Music UK em abril de 2020 foi 29,2% menor para mulheres vs. homens. (Tomado como % mediano, esse número cai para 25,3%).

Quando se trata de bônus, as executivas recebiam em média 49,6% menos do que os homens. (Tomado como % mediano, esse número sobe para 57,2%).

O pagamento de bônus foi dado a 79% dos homens e 80% das mulheres na Universal Music UK.


SONY MUSIC (SONY MUSIC ENTERTAINMENT UK LTD)

Em 5 de abril de 2020, no quartil de maior renda dos negócios da Sony Music UK, 61% dos funcionários eram homens e 39% eram mulheres.

No "quartil superior médio" da Sony Music UK (ou seja, o segundo nível de remuneração dos executivos), 46% dos funcionários eram homens e 54% eram mulheres.

No quartil "médio inferior" (ou seja, o terceiro nível), havia 52% de funcionários do sexo masculino e 48% do sexo feminino, enquanto no quartil inferior (ou seja, o nível de entrada / remuneração mais baixa), essas estatísticas eram de 44% masculino e 56% feminino.

A Sony afirma que 49% de sua força de trabalho total no Reino Unido são mulheres.

A taxa média de remuneração por hora em toda a Sony Music UK em abril de 2020 foi 25,4% menor para mulheres vs. homens.

(Tomado como % mediano, esse número cai para 8,7%).

Em se tratando de bônus, as executivas recebiam, em média, 50,4% menos do que os homens. (Tomado como % mediano, esse número cai para 19,3%).

A gratificação foi concedida a 72,2% dos homens e 65,7% das mulheres. (Sony explica mais sobre elegibilidade de bônus em seu relatório, aqui).

WARNER (WARNER MUSIC UK LTD)

Em 5 de abril de 2020, no quartil mais lucrativo dos negócios da Warner Music UK, 61% dos funcionários eram homens e 39% eram mulheres.

No "quartil superior médio" da Warner Music UK (ou seja, o segundo nível de remuneração dos executivos), 50% dos funcionários eram homens e 50% eram mulheres.

No quartil "médio inferior" (ou seja, o terceiro nível), havia 40% de funcionários do sexo masculino e 60% do sexo feminino, enquanto no quartil inferior (ou seja, o nível de entrada / remuneração mais baixa), essas estatísticas eram de 49% masculino e 51% feminino.

A taxa média de remuneração por hora em toda a Warner Music UK em abril de 2020 foi 30% menor para mulheres vs. homens.

(Tomado como um % mediano, esse número cai para 14,5%).

Em se tratando de bônus, as executivas recebiam em média 56,9% menos do que os homens. (Tomado como % mediano, esse número cai para 37,9%).

Em 5 de abril de 2020, o pagamento de bônus era concedido a 86% dos homens e 76% das mulheres. A Warner explica sua elegibilidade ao bônus aqui.

Warner Music UK também optou por publicar seus dados a partir de 5 de abril de 2021, que, a empresa escreve em seu relatório, "nos permitirá falar sobre nosso progresso em tempo real" e "vamos falar sobre o que nós estamos fazendo, e não apenas o que fizemos.”

Em 5 de abril de 2021, a taxa média de remuneração por hora em todo o negócio da Warner Music UK era 36,7% menor para mulheres vs. homens. (Tomado como % mediano, esse número cai para 17,8%).


SPOTIFY (SPOTIFY LTD)

Em 5 de abril de 2020, no quartil de maior renda dos negócios do Spotify no Reino Unido, 67,6% dos funcionários eram homens e 32,4% eram mulheres.

No "quartil superior médio" do Spotify Reino Unido (ou seja, o segundo nível de remuneração dos executivos), 57,9% dos funcionários eram homens e 42,1% eram mulheres.

No quartil "médio inferior" (ou seja, o terceiro nível), havia 50% de funcionários do sexo masculino e 50% do sexo feminino, enquanto no quartil inferior (ou seja, o nível de entrada / remuneração mais baixa), essas estatísticas eram de 47,6% masculino e 52,4% feminino.

A taxa média de remuneração por hora no Spotify Reino Unido em 5 de abril de 2020 era 15,3% menor para mulheres vs. homens.

(Tomado como % mediano, esse número aumenta para 19,2%),

Quando se trata de bônus, em 5 de abril de 2020, as mulheres executivas do Spotify, no Reino Unido, recebiam em média 40,3% menos do que os homens.

(Tomado como um % mediano, o pagamento de bônus para mulheres é 24,4% menor do que para homens).

A gratificação foi concedida a 63% dos homens e 63,3% das mulheres.

Aqui está o que o Spotify diz sobre esses números.


APPLE (APPLE UK LTD)


Em 5 de abril de 2020, no quartil de maior renda da Apple no Reino Unido, 87% dos funcionários eram homens e 13% eram mulheres.

No "quartil superior médio" dos negócios da Apple no Reino Unido (ou seja, o segundo nível de remuneração dos executivos), 89% dos funcionários eram homens e 11% eram mulheres.

No quartil "médio inferior" (ou seja, o terceiro nível), havia 79% de funcionários do sexo masculino e 21% do sexo feminino, enquanto no quartil inferior (ou seja, o nível de entrada / remuneração mais baixa), essas estatísticas eram de 63% masculino e 37% feminino.

A taxa média de remuneração por hora em todos os negócios da Apple no Reino Unido em 5 de abril de 2020 era 18% menor para mulheres do que para homens. (Tomado como um % mediano, esse número aumenta para 22%).

Quando se trata de bônus, as executivas recebiam, em média, 33% menos do que os homens. (Tomado como um % mediano, o pagamento de bônus para mulheres é 52% menor do que para homens).

O pagamento de bônus foi concedido a 97% dos homens e 94% das mulheres.

Aqui está o que a Apple tem a dizer sobre seu relatório.

LIVE NATION (LIVE NATION MUSIC UK LTD)

Em 5 de abril de 2020, no quartil de maior renda dos negócios da Live Nation UK, 59% dos funcionários eram homens e 41% eram mulheres.

No "quartil superior médio" da Live Nation UK (ou seja, o segundo nível de remuneração dos executivos), 37% dos funcionários eram homens e 63% eram mulheres.

No quartil "médio inferior" (ou seja, o terceiro nível), havia 41% de funcionários do sexo masculino e 59% do feminino, enquanto no quartil inferior (ou seja, o nível de entrada / remuneração mais baixa), essas estatísticas eram de 40% masculino e 60% feminino.

A taxa média de remuneração por hora na Live Nation UK em 5 de abril de 2020 era 34,3% menor para mulheres vs. homens. (Tomado como % mediano, esse número cai para 14,3%).

Quando se trata de bônus: nenhum foi pago no Reino Unido em 5 de abril de 2020, de acordo com a Live Nation.


Leia a matéria original aqui.

10 visualizações0 comentário
  • Julie Sousa


Música e paixão andam juntos quase sempre, e isso a gente já sabe. O que nem todo mundo sabe, é que vem crescendo (e muito!) o consumo de podcasts no Brasil.


E isso não é só a gente que diz não: uma pesquisa realizada pela Globo em parceria com o Ibope, entre setembro de 2020 e fevereiro de 2021, indica que dos cerca de 100 milhões de brasileiros que consomem alguma forma de áudio digital, 28 milhões ouvem podcasts. Seguindo este crescimento, os podcasts sobre música não poderiam ficar de fora.


Listamos aqui 4 programas sobre música, com conteúdos variados, pra você ouvir neste fim de semana:


O podcast da Agência 1a1, cofundadora da Treinam, que fala sobre marketing para bandas de Heavy Metal e Rock, além de contar um pouco dos bastidores do trabalho na música pesada e dicas de como divulgar sua banda nas mídias e nas redes sociais.


É parte do site Tenho Mais Discos que Amigos, que provavelmente você já conhece. Rafael Teixeira, a equipe do site e eventuais convidados discutem bandas, movimentos e as tendências pro futuro da música no Brasil e no mundo.


Quebrando todo e qualquer estereótipo sobre os povos originários e música indígena contemporânea, Originárias, da jornalista Renata Aratykyra, é o primeiro podcast no Brasil de músicos e artistas indígenas do século XXI.


Podcast de fã pra fã, cheio de emoção, informação e diversidade musical, o Silêncio no Estúdio é debate, listas, áudio-documentários, análises, entrevistas e até conversas inspiradoras. Falando em conversas, duas de nossas mentoras aqui da Treinam, a Ísis Correia e a Julie Sousa, já passaram por lá.

Entrevista - Julie Sousa (Baterista, Podcaster e Fundadora do Hi Hat Girls)


Marketing Musical (Feat. Isis Correia da Agência 1a1)




34 visualizações0 comentário

Escrito por Ashley King e traduzido por Izabel Muratt

Crédito da foto: Eva Rinaldi (CC by 2.0) O vocalista do Duran Duran, Simon LeBon, diz que o streaming de música está matando toda uma geração de artistas.

Em uma nova entrevista com a NME, LeBon falou francamente sobre como o modelo de pagamento por streaming irá desencorajar os músicos de perseguirem sua paixão como uma profissão em tempo integral. O governo do Reino Unido conduziu uma investigação da indústria de streaming e descobriu que uma "reinicialização total do sistema é necessária."

"Os artistas precisam ser pagos adequadamente pela música tocada - é daí que o dinheiro deveria vir", disse LeBon em entrevista à NME. "O que os artistas ganham? Algo como dois décimos de centavo por stream, e isso não vai apenas para os artistas. Uma porcentagem disso também irá para a gravadora, que não distribui para estes artistas. Eles irão distribuir para artistas que consideram serem seu maior sucesso."

"É tão injusto e tão errado - a ideia de que as pessoas podem gastar nove libras por mês e ouvir música ilimitada me preocupa, para começar, porque desvaloriza a música gravada", continua LeBon. "O verdadeiro efeito indireto prático é que novas bandas não podem ganhar dinheiro ao menos que toquem ao vivo, e durante uma pandemia, ninguém foi capaz de fazer isso. Haverá um buraco nessa geração."

O vocalista do Duran Duran, Simon LeBon, não é o único artista que reflete esse sentimento de que o streaming está matando a classe.

O vocalista do Elbow, Guy Garvey, disse à BBC no ano passado que o streaming de música está "ameaçando o futuro da música", ecoando o sentimento de LeBon. “Isso parece muito dramático, mas se os músicos não podem pagar o aluguel, não teremos mais música no amanhã."

Nadine Shah também testemunhou no Comitê DCMS, falando em nome de seus colegas músicos. Ela disse aos reguladores que estava falando por eles "porque não queremos perder o apoio das plataformas de streaming e das grandes gravadoras."

Isso porque todo o dinheiro é pago aos detentores dos direitos, que então dividem o dinheiro de acordo com as porcentagens. A BBC relata que os artistas recebem apenas cerca de 13% da receita que geram, com as gravadoras e editoras ficando com o resto. 13% de US $ 0,003 por stream não paga os artistas o suficiente para continuarem fazendo música.

Parte dessa perda pode ser atribuída a contratos arcaicos, segundo Tom Gray, da banda Gomez. Os acordos de grandes gravadoras ainda trazem cláusulas para cobrir a quebra física de vinis e CDs. Isso significa que até 10% dos royalties de um artista podem ser deduzidos - apesar da maioria das músicas estarem em plataformas de streaming atualmente.

Leia a matéria original aqui.

6 visualizações0 comentário