Buscar
  • Treinam Mentorias

YouTube pretende contratar seu primeiro executivo focado em podcasts

A plataforma de vídeos está procurando alguém para gerenciar o número crescente de podcasts enviados todos os dias Escrito por Lucas Shaw. Traduzido por Izabel Muratt. O YouTube está procurando contratar ume executive para supervisionar seu negócio de podcasting, uma nova posição para a gigante do vídeo e um sinal de que seu pai, o Google, da Alphabet Inc., está começando a levar a categoria a sério.
O YouTube já é um dos principais destinos para ouvintes de podcast, com muitos produtores criando vídeos enquanto gravam episódios e os enviam para o site. “The Joe Rogan Experience”, um dos maiores podcasts do mundo, tem mais de 11 milhões de assinantes no YouTube. E alguns YouTubers populares, como Logan Paul e h3h3, se ramificaram em podcasts.
Mesmo assim, o YouTube até agora fez pouco para personalizar seu aplicativo ou site para ouvintes de podcast, com equipes da divisão de aplicativos móveis do Google cuidando do trabalho. Agora o YouTube está em busca de um profissional para organizar e administrar os milhões de podcasts que já existem no site, afirmou um porta-voz. Podcasting é um pequeno negócio, quando comparado ao de vídeo online. O YouTube gerou quase 20 bilhões de dólares em vendas de publicidade no ano passado, enquanto todo o negócio de podcasting não ultrapassou $1 bilhão nos EUA. Mas as vendas de publicidade em podcast devem dobrar este ano.
Muitos dos concorrentes do Google competem por ouvintes de podcast. O Spotify, por exemplo, gastou bilhões de dólares comprando empresas de podcasting e programas, enquanto a Amazon e Apple estão começando a investir mais no segmento. O Spotify também começou a se envolver em podcasts de vídeo - conhecidos como vodcasts - e limita a duração dos vídeos que Rogan pode postar no YouTube.
Os podcasts tiveram algumas casas diferentes no Google. Eles foram primeiro inseridos no Play Music, um serviço que foi encerrado para abrir caminho para uma oferta com a marca do YouTube. Em seguida, o Google os moveu para um aplicativo dedicado no Android.


Leia a matéria original aqui.
5 visualizações0 comentário